Abril de 2013
página 4
 
 
Preocupado com a pouca escolaridade dos trabalhadores, SINDEDIF-JF quer ajudar categoria a estudar

     Em entrevista ao jornal “O Combate”, o presidente do SINDEDIF- JF (Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora), Luiz José da Silva, revelou sua preocupação com a pouca escolaridade da maior ia dos trabalhadores brasileiros, inclusive os integrantes da categoria representada pelo Sindicato. “Infelizmente, a classe operária do nosso País, de modo geral, não teve oportunidade de estudar, pois sempre teve uma vida muito dura e difícil. Da mesma forma, quase todos os funcionários dos condomínios, shoppings centers, administradoras de imóveis e administradoras de condomínios também não fogem à regra, ou seja, não puderam estudar, pois até há pouco tempo frequentar escolas era algo muito caro e muito difícil, o que impedia que a quase totalidade das pessoas menos favorecidas pela sorte conseguisse um bom nível de escolaridade” – explica o sindicalista.
     Segundo ele, “isso faz com que muitos trabalhadores, sem instrução, já que não puderam estudar, se tornem presa fácil nas garras de alguns empregadores inescrupulosos, que exploram o suor desses trabalhadores e os enganam de várias maneiras, como,  por exemplo, quando mandam fazer coisas que prejudicam o Sindicato, dificultando a atuação da entidade. O trabalhador deve ficar bem atento, não dando ouvidos ao que o seu patrão falar contra o Sindicato e nem fazendo o que esse mesmo patrão espertalhão mandar ou pedir que o trabalhador faça para enfraquecer o Sindicato, como, por exemplo, se opor ao trabalho da entidade com o envio de cartas de oposição, porque, como enfraquecimento do Sindicato, o empregado também fica enfraquecido, já que fica desprotegido, sem uma entidade forte para defender os seus direitos e conseguir melhorias salariais e outros benefícios para a categoria”. Para o sindicalista, “a falta de conscientização da maioria dos trabalhadores brasileiros sobre a grande importância dos Sindicatos na luta por melhorias salariais e melhores condições de vida e de trabalho para a categoria é a principal causa dos baixos salários que a maioria dos operários brasileiros recebe”.
     Luiz ressalta que “isso não acontece em países desenvolvidos, como, por exemplo, França, Inglaterra e Estados Unidos, onde os Sindicatos são fortes e conquistam ótimos salários e vários outros benefícios para  categoria, porque os trabalhadores (que puderam estudar, são instruídos e, por isso, não se deixam enganar por patrões espertalhões) sempre dão força aos seus Sindicatos, pois sabem que se os Sindicatos trabalhistas não conseguirem reajustes salariais e outros benefícios para os trabalhadores, ninguém mais consegue, já que nenhum patrão é tão bonzinho a ponto de conceder aumento salarial de livre e espontânea vontade. Os patrões só pagam aos seus empregados o que a lei e as convenções coletivas dos Sindicatos mandam. Nada mais. Só que muitos trabalhadores, por falta de instrução, infelizmente, não sabem disso e pensam que seus patrões são bonzinhos e que o Sindicato é que não vale nada”.
    Para provar que a escolaridade e a conscientização dos trabalhadores sobre a importância dos Sindicatos estão diretamente ligadas com o recebimento de bons salários, Luiz cita como exemplo o que acontece no Brasil em relação aos bancários e metalúrgicos: “São duas categorias fortes, que recebem bons salários, porque, tendo melhor escolaridade e boa instrução, têm consciência da importância do Sindicato e dão força à entidade que luta por melhorias salariais e melhores condições de vida e de trabalho para a classe”.
     Por estas e outras razões, Luiz quer a adoção de medidas para proporcionar à categoria representada pelo SINDEDIF-JF a oportunidade de adquirir melhor escolaridade. “Vamos tratar desta questão junto à diretoria deste Sindicato e também perante as pessoas responsáveis e interessadas na elevação do nível de escolaridade dos trabalhadores. Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para que os nossos companheiros integrantes da laboriosa categoria representada pelo SINDEDIF- JF possa ter a oportunidade de estudar. Queremos incentivá-los e ajudá-los, e veremos o que podemos fazer, tendo em vista que os estudos são realmente muito importantes na vida de qualquer pessoa” – salienta o sindicalista.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
   EXPEDIENTE 

Jornal fundado pelo jornalista Djalma Medeiros em 06 de julho de 1952. Registrado no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas da Comarca de Juiz de Fora sob o nº 80.
Diretor-Redator-Presidente: João Batista de Medeiros - Colaborador: M.R. Gomide (Redator de Turismo).
Redação: Rua Osvaldo Xavier de Souza, 586 - CEP 36.071-450 - Bairro: Santo Antônio Juiz de Fora - Minas Gerais - Celular: (32) 8845- 2991. E-mail: ocombate.jm@gmail.com

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas