Abril 2018
página 3
 
 
MINASPETRO não comparece à audiência no MPT para negociação de reajuste salarial para os frentistas

     Diante da negativa do MINASPETRO em continuar negociando a pauta de reivindicações dos empregados dos postos de combustíveis de Minas Gerais na negociação direta com as entidades sindicais que representam esses trabalhadores neste Estado e até mesmo na negociação mediada pelo Ministério do Trabalho, as entidades sindicais dos frentistas pediram a mediação do Ministério Público do Trabalho (MPT), que designou, então, audiência de mediação para o dia 13 de abril na Procuradoria localizada em Belo Horizonte.

     O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (MINASPETRO), entretanto, não compareceu à audiência, tendo informado ao MPT o seguinte: “(...) declinamos de nossa presença na mediação agendada para hoje”.

     Assim, o Sindicato patronal manifestou expressamente o seu desinteresse pela mediação do MPT para prosseguimento da negociação coletiva, conforme despacho exarado pelo Procurador do Trabalho, Geraldo Emediato de Souza, nos autos do procedimento (PA-ME 001165.2018.03.000/0) aberto pelo MPT (clique aqui para ver o Despacho).

“Desinteresse do Sindicato patronal pela negociação mostra que os postos de combustíveis que estão fazendo Acordo com o Sindicato dos frentistas estão mesmo no caminho certo” – diz sindicalista

     Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, “essa atitude lamentável do MINASPETRO revelou, mais uma vez, que o Sindicato patronal não está mesmo interessado no prosseguimento da negociação coletiva. O fato de a reunião para negociação ser mediada pelo Ministério Público do Trabalho fazia crer que o MINASPETRO, pelo menos em respeito à nobre e respeitável autoridade do MPT, iria, pelo menos, comparecer à audiência e apresentar proposta que fosse, no mínimo, digna de avaliação. Mas o Sindicato patronal não se dignou nem sequer a comparecer à audiência, demonstrando, assim, de maneira clara e evidente, seu total desinteresse pela negociação coletiva. Isso mostra, também de maneira clara e evidente, que os postos de combustíveis que não querem ficar vendo crescerem seus problemas relativos às questões do reajuste salarial, do reajuste da cesta básica de alimentos e da PLR, estão mesmo no caminho certo ao firmarem Acordo Coletivo de Trabalho com o Sindicato dos frentistas, resolvendo agora os problemas referentes a essas questões, pois pelo visto, as empresas que ficarem dependendo do MINASPETRO, aguardando definição do Sindicato patronal, com certeza vão se dar muito mal, pois o próprio Sindicato patronal já demonstrou claramente seu total desinteresse pela negociação coletiva”.

“Não é bom para o homem que coma e beba e que faça gozar a sua alma do bem do seu trabalho? Isto (...) vem da mão de Deus”. (Livro de Eclesiastes 2:24)

Estas palavras sagradas, pronunciadas pelo grande sábio Salomão num instante de inspiração divina, mostram que o trabalho é um direito sagrado do ser humano para garantir o seu próprio sustento e o de sua família, razão pela qual não pode ser negado a ninguém. Daí a grande necessidade da criação de postos de trabalho para que sempre haja empregos para todos.

Paralelamente a isso, é extremamente necessário que haja também, por parte dos governantes e dos empregadores, maior reconhecimento da grande importância do papel exercido pela classe trabalhadora no processo desenvolvimentista do nosso querido Brasil, de modo que sejam oferecidos salários mais dignos e melhores condições de vida e de trabalho a todos os trabalhadores, que constroem a cada dia a grandeza deste País.

Que este DIA DO TRABALHADOR seja proveitoso para um momento de meditação sobre esta mensagem com a qual queremos abraçar afetuosamente a todos os companheiros trabalhadores, especialmente os comerciários.

SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE JUIZ DE FORA

A Diretoria

"Digno é o trabalhador do seu salário"
(Evangelho de Lucas, capítulo 10, versículo 7).

     Foi Jesus Cristo quem disse isso, dirigindo-se aos obreiros do Evangelho. Mas esta frase de Jesus vale também para os obreiros em geral, significando que O TRABALHADOR TEM QUE RECEBER O QUE MERECE, isto é, UM SALÁRIO DIGNO    

No Evangelho de Mateus 10.10, Jesus diz: "Digno é o trabalhador do seu alimento".     

A utilização da palavra "salário" (em Lucas 10.7) ou "alimento" (em Mateus 10.10) não muda em nada o sentido básico do provérbio, pois o salário tem natureza alimentar.    

Por estas razões, apontadas pelo Mestre dos Mestres, queremos aproveitar o Dia do Trabalhador para lembrar aos empregadores e às autoridades em geral este dito do Divino Mestre.     

E com estas palavras de Jesus, queremos abraçar fraternalmente toda a classe trabalhadora ao ensejo do transcurso do seu Dia (1º de Maio).

Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG

Paulo Guizellini - Presidente 

Mensagem aos trabalhadores
"“Doce é o sono do trabalhador, quer coma pouco, quer muito; mas a fartura do rico não o deixa dormir”. (Livro de Eclesiastes 5:12)"

“Doce é o sono do trabalhador, quer coma pouco, quer muito; mas a fartura do rico não o deixa dormir”. (Livro de Eclesiastes 5:12)
Estas palavras são do grande sábio Salomão, ensinando-nos que o trabalho não só enobrece o ser humano como também o leva a dormir um sono tranquilo depois de um dia de cansativa atividade, enquanto a fartura e a riqueza do rico, que muitas vezes o levam à inatividade e geram grandes preocupações, geralmente não o deixam dormir sossegado.

Com esta mensagem de Salomão, queremos externar os nossos mais sinceros cumprimentos a todos os trabalhadores por ocasião do transcurso do Dia do Trabalhador.
Que os governos e os empregadores compreendam que o trabalho precisa ser mais valorizado e melhor remunerado, para que o Brasil possa progredir e o sono do trabalhador passe a ser mais doce.

Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora - SINDEDIF-JF

A Diretoria

2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas