Agosto de 2015
página 2
 
 
Frentista baleado em assalto a posto

No encontro quadrimestral do MINASPETRO (representado por seu advogado, Klaiston Soares - o 1º à esquerda) com entidades sindicais dos frentistas, no dia 24 de junho, em Juiz de Fora, os representantes dos frentistas voltaram a pedir medidas de segurança contra os assaltos que vêm aterrorizando os postos de combustíveis, mas a resposta do Sindicato patronal mais uma vez foi negativa. (Foto: Arquivo “O Combate”)

     A Polícia Militar registrou quatro assaltos a postos de combustíveis em Juiz de Fora em apenas seis dias.

     Na madrugada de sábado, 22 de agosto, um bandido armado de faca assaltou um posto de combustíveis na Avenida Presidente Costa e Silva, no Bairro São Pedro, Cidade Alta. Segundo a Polícia Militar, um frentista contou que o larápio chegou ao local por volta de quatro horas e anunciou o roubo, levando R$ 300 que estavam com o frentista e R$ 1.840 da loja de conveniência do posto. O ladrão fugiu e não foi localizado.

      Na noite de quarta-feira, dia 19 de agosto, outro assalto a posto de combustíveis já tinha sido registrado pela PM. Foi em Igrejinha, na Zona Norte, às margens da BR-267, onde um frentista, de 22 anos, foi atingido por dois tiros no tórax. Socorrido por populares até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte, ele foi medicado e permaneceu em observação, sendo liberado na tarde do dia seguinte, mesmo com as balas ainda alojadas em seu corpo. Conforme informações da PM, dois bandidos encapuzados e armados com revólver chegaram a pé ao posto por volta das 21 horas e anunciaram o assalto, rendendo os funcionários que trabalhavam no estabelecimento. A dupla, após roubar R$ 180, mandou que o cofre do posto fosse aberto. Como os frentistas disseram que não tinham a chave do cofre, o ladrão que estava com revólver disparou, alvejando o frentista. Em seguida, os larápios fugiram a pé, não sendo encontrados.

       Dois dias antes, mais um posto de combustíveis já tinha sido assaltado na Zona Norte de Juiz de Fora. O roubo ocorreu na noite de segunda-feira, dia 17 de agosto, quando três bandidos, dois deles armados de revólveres, entraram no posto localizado no Acesso Norte, na altura do Bairro Industrial. Segundo a PM, os criminosos renderam um frentista, de 26 anos, colocando-o sob a mira das armas. Em seguida, roubaram R$ 466 que estavam no caixa e fugiram a pé, não sendo localizados.

      Esse foi o segundo assalto a posto de combustíveis em dois dias consecutivos na Zona Norte, pois um posto situado no Bairro Benfica já havia sido assaltado na manhã do dia anterior. De acordo com informações da PM, uma frentista, de 28 anos, trabalhava no caixa do estabelecimento, na Rua Tomé de Souza, por volta das 7h30, quando foi rendida por um larápio. Dizendo que estava armado, ele anunciou o assalto, obrigando a frentista a lhe entregar R$ 250 e a chave da moto dela. O ladrão fugiu em direção à linha férrea. A frentista procurou a PM no posto do programa “Ambiente de Paz”, na praça de Benfica. Viaturas da PM fizeram rastreamento na região, mas o bandido não foi encontrado.

Sindicato quer reunião pública para tratar da onda de assaltos a postos

     Muito preocupado com a integridade física de todos os frentistas, mas principalmente daqueles que trabalham à noite, quando os assaltos são mais frequentes, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, informou que a entidade vai realizar Assembleia Geral Extraordinária nos próximos dias para tratar da questão da onda de assaltos a postos de combustíveis na Cidade.

     Além disso, o Sindicato pretende buscar a realização de uma Audiência Pública na Câmara Municipal de Juiz de Fora para discussão do assunto. “A questão da onda de assaltos a postos de combustíveis na Cidade é um tema muito grave, pois o crescimento vertiginoso do número de crimes desse tipo em Juiz de Fora, pondo em risco a saúde e a vida dos trabalhadores, bem como dos transeuntes e clientes dos postos, principalmente à noite, deve causar enorme preocupação a todos, principalmente neste momento em que um frentista foi baleado durante assalto ao posto em que ele trabalha, o que justifica a convocação de uma reunião pública para tratar do assunto com o objetivo de se buscar medidas que possam eliminar ou pelo menos combater e reduzir o número de assaltos a postos de gasolina nesta Cidade” – assinalou Guizellini.   

  
Frentista pode receber indenização
por causa de assalto

     O presidente do SINTRAPOSTO-MG ressaltou que os casos de transtornos psíquicos ou agressões físicas a frentistas, em decorrência de assaltoa posto de combustíveis, ficando comprovado o nexo causal (relação entre causa e efeito), são considerados acidentes de trabalho, sendo obrigatória a emissão de CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho).

     Paulo Guizellini lembra que o Departamento Jurídico do Sindicato está à disposição dos trabalhadores que tenham sido vítimas de assalto nos postos de gasolina em que trabalham ou trabalhavam. “Os frentistas, que foram assaltados durante o seu trabalho, podem se dirigir à sede do Sindicato, na Rua Halfeld, nº 414, sala 609, Centro, Juiz de Fora, para ajuizamento de ação destinada a pleitear indenizações por danos morais, materiais e estéticos. O nosso Departamento Jurídico está à disposição de todos os trabalhadores” – assinalou o sindicalista.

     Ele destacou que o posto de combustíveis não pode descontar do salário do frentista o valor do prejuízo causado à empresa pelo assaltante, pois a legislação vigente diz que o risco do empreendimento é do empregador. “E, dependendo do caso, o frentista pode até receber indenização em consequência do assalto” – arrematou Guizellini. Por isso, ele sugere a todos os frentistas assaltados no local de trabalho que se dirijam ao Sindicato, para a tomada de providências cabíveis.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
   EXPEDIENTE 

Jornal fundado pelo jornalista Djalma Medeiros em 06 de julho de 1952. Registrado no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas da Comarca de Juiz de Fora sob o nº 80.
Diretor-Redator-Presidente:
João Batista de Medeiros - Colaborador: M.R. Gomide (Redator de Turismo).
Redação: Rua Osvaldo Xavier de Souza, 586 - CEP 36.071-450 - Bairro: Santo Antônio Juiz de Fora - Minas Gerais - Celular: (32) 8845- 2991. E-mail:
ocombate.jm@gmail.com

2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas