Fevereiro de 2014
página 3
 
 
Sindicalista lembra: trabalhadores também
devem fiscalizar cumprimento dos seus direitos

     Ao avaliar o acordo firmado com o MINASPETRO, o presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, afirmou que “os novos benefícios e as novas vantagens que passaram a integrar a nossa Convenção Coletiva de Trabalho desde o ano de 2011 refletiram também no acordo celebrado agora, dando-nos vantagens que mostram, mais uma vez, que valeu a pena a nossa luta travada em 2011 e 2012 na campanha salarial referente à nossa data-base de 2011”.

   Ele conta que “mais uma vez, a exemplo dos anos anteriores, foi muito difícil fechar acordo com o MINASPETRO, pois o Sindicato patronal ainda continua adotando a velha política de arrocho salarial”.
Guizellini ressalta que “o SINTRAPOSTO está atento na vigilância para garantir o cumprimento dos direitos trabalhistas e encargos sociais pelas empresas, mas é indispensável que os próprios trabalhadores também fiscalizem o cumprimento, pelas empresas, dos direitos e benefícios conquistados para eles pelo Sindicato, conferindo tudo no blog da entidade (sintrapostomg.blogspot.com.br)”.

     Segundo o sindicalista, “os trabalhadores também precisam ficar atentos, e, se verificarem que a empresa não está lhes pagando seus direitos, devem entrar em contato imediatamente com o Sindicato, denunciando o caso para que a entidade possa tomar as providências cabíveis”. Os telefones 0(xx)32-3216-3181 e 3213-7565 e o e-mail do Sindicato (sintrapostomg@gmail.com) estão à disposição dos frentistas para receber suas denúncias. E a entidade garante sigilo absoluto quanto ao nome do denunciante.
 
     Ainda de acordo com Guizellini, o Sindicato vai continuar visitando as bases, como vem fazendo já há muitos anos, “mas, é claro, a entidade não tem os poderes da onipresença e da onisciência para estar em todos os lugares ao mesmo tempo e saber tudo o que está acontecendo em todos os lugares, razão pela qual contamos com a colaboração de todos os companheiros trabalhadores”.

     Para o sindicalista, “a empresa relapsa tem que ser combatida e punida severamente, pois ela prejudica seus empregados, não lhes pagando os devidos direitos; prejudica o governo e o povo, sonegando impostos que seriam revertidos em obras e serviços em benefício da população; e prejudica também as empresas da própria categoria que cumprem suas obrigações, pois elas são concorrentes, e, nesse caso, a concorrência entre elas é desleal, já que uma paga o que deve e a outra dá calote”.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
SINTRAPOSTO-MG doa material escolar a seus associados

luiz-jose-da-silva_joao-batista-medeiros    A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região - SINTRAPOSTO-MG, preocupada com a difícil situação financeira vivida pelos trabalhadores de baixa renda, achou por bem contribuir, dentro de suas possibilidades, para aliviar um pouco o fardo pesado que os associados da entidade carregam na área educacional.
    Assim, para incentivá-los a estudar e ajudá-los na manutenção de seus filhos na escola, o Sindicato, a exemplo dos anos anteriores, doou recentemente vários artigos de material escolar a todos os seus associados que se inscreveram para tal. (
LEIA MATÉRIA COMPLETA NO PRÓXIMO MÊS.)

+ Clique na imagem para ampliar
Campanha salarial dos trabalhadores dos
condomínios ainda não tem definição

     A campanha salarial dos empregados dos condomínios, das administradoras de imóveis e dos “shoppings centers” de Juiz de Fora, iniciada em outubro de 2013, ainda continua sem definição.
     O Sindicato que representa esses trabalhadores, ou seja, o Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora (SINDEDIF-JF), tem se movimentado muito no sentido de conseguir junto ao Sindicato patronal um bom acordo salarial para esta importante categoria profissional, cuja data-base é 1º de janeiro.
     O SINDEDIF-JF já realizou duas rodadas de negociação com o Sindicato dos Condomínios de Juiz de Fora e Zona da Mata Mineira, uma no dia 10 de dezembro e a outra no dia 17 de dezembro de 2013. Em cada uma delas, os representantes dos trabalhadores e os da classe patronal debateram e negociaram durante cerca de três horas, mas não chegaram a um acordo sobre o índice de reajuste a ser aplicado aos salários dos trabalhadores a partir de 1º de janeiro de 2014. Na ocasião, o SINDEDIF-JF ficou de examinar com os trabalhadores a possibilidade (ou não) de aceitar a proposta apresentada na mesa de negociação pelo Sindicato patronal. Levada à apreciação da categoria, a proposta patronal foi rejeitada.
     O Sindicato patronal vem insistindo em manter a mesma proposta apresentada na primeira reunião e não tem se mostrado disposto a avançar, enquanto o Sindicato dos trabalhadores quer que o patronal “melhore a sua proposta, aumentando o índice de reajuste salarial”, conforme afirmou o presidente do SINDEDIF-JF, Luiz José da Silva.
     Não foi marcada nova reunião para discutir o assunto, mas o SINDEDIF já enviou ofício ao Sindicato patronal salientando que o processo de negociação pode e deve prosseguir, pois a entidade continua aberta ao diálogo e disposta a se reunir novamente com o Sindicato patronal visando à definição do processo de negociação para celebração da nova Convenção Coletiva de Trabalho da categoria.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Revista francesa detona Brasil e aponta
Copa no país como o "Mundial do Medo"

     A renomada revista “FRANCE FOOTBALL” traz sempre belíssimas capas, ilustradas com fotos de lances sensacionais, gols, voleios, troféus, torcidas celebrando com suas bandeiras, etc... Mas esta semana veio com uma "Edição de Luto".

     A capa toda negra, onde se lê "Peur sur le Mondial", algo como: "O mundial do medo", sendo que na letra O da palavra "mondial" está a bandeira do Brasil, e onde deveria estar escrito "Ordem e Progresso", foi colocada uma tarja negra (foto ilustrativa). No subtítulo a revista diz: “Atingido por uma crise econômica e social, o Brasil está longe de ser aquele paraíso imaginado pela FIFA para organizar uma Copa do Mundo, a menos de 5 meses do mundial, o Brasil virou uma terrível fonte de angústia”.
     A revista FF é a mais respeitada publicação de futebol no mundo.
    O prêmio "Ballon d'Or", foi criado por ela, e a FIFA teve que pagar para ter o direito de promover tal prêmio. Também foi dela a série de reportagens que culminaram na suspensão do campeonato Italiano de 2005/06, assim como as denúncias de corrupção que resultaram na queda de João Havelange. A revista pode ser acessada no site: www.francefootball.com, mas apenas se vê a capa. A reportagem, de 12 páginas, não está liberada no Brasil.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
"O COMBATE" NA REDE MUNDIAL DE COMPUTADORES
2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas