Fevereiro 2017
página 3
 
 
Ainda o grave problema da ocorrência de grande número de assaltos a postos de combustíveis na Cidade
Sindicato vê como “uma luz no fim do túnel” a disposição do novo comandante da 4ª RPM de melhorar a questão da violência em JF

     Falando ao jornal “O Combate”, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, disse que está sempre muito preocupado com a integridade física e psicológica dos frentistas por causa dos constantes assaltos a postos de combustíveis que há muitos anos vêm acontecendo em Juiz de Fora. Por conta disso, o Sindicato já tomou diversas providências ao longo de mais de 15 anos na busca de solução para esse grave problema. Segundo Guizellini, “a entidade está sempre buscando e cobrando providências das autoridades e dos donos dos postos de combustíveis para que os frentistas possam trabalhar em paz e segurança”.

     Agora, depois de tantos anos buscando e cobrando providências sem encontrar solução para o problema, pois os assaltos a postos de gasolina continuam a ocorrer na Cidade, o sindicalista vê com bons olhos a disposição do coronel Alexandre Nocelli, que ao assumir o comando da 4ª RPM (Região de Polícia Militar), em solenidade realizada no dia 8 de fevereiro, no pátio do 2º Batalhão da PM, em Santa Terezinha, declarou: “Vamos para a guerra. Afirmo isso e empenho minha palavra de que farei todo o possível para melhorar a questão da violência em Juiz de Fora e Região”.

     De acordo com Guizellini, “o Sindicato já fez e vai continuar a fazer tudo o que puder para a preservação da integridade física e psicológica dos empregados dos postos de combustíveis, sempre buscando e cobrando providências das autoridades e dos proprietários desses estabelecimentos para que os frentistas possam trabalhar em paz e segurança”. E agora a entidade conta com essa disposição do novo comandante da 4ª RPM: “Estamos vendo como uma luz no fim do túnel essa fala do coronel Nocelli e acreditamos que desta vez será encontrada uma solução para esse grave problema da ocorrência de grande número de assaltos a postos de gasolina na Cidade, problema este que há vários anos vem pondo em risco não só a saúde e a vida dos frentistas, mas também dos transeuntes e clientes dos postos. Contamos com a disposição do coronel, e ele também pode contar com a nossa disposição, caso queira, no que estiver ao nosso alcance, para que tal problema seja solucionado” – assinalou o sindicalista.

SINTRAPOSTO visita bases e vê entrosamento com frentistas

 O diretor-secretário e o presidente do SINTRAPOSTO-MG, respectivamente Luiz Geraldo Martinho e Paulo Guizellini, fazendo trabalho de base em um posto de combustíveis no interior de MG.

     O presidente, o vice-presidente e o diretor-secretário do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG, respectivamente Paulo Guizellini, Rômulo de Oliveira Garbero e Luiz Geraldo Martinho, acompanhados do advogado João Batista de Medeiros, integrante do Departamento Jurídico da entidade, estiveram recentemente em vários postos de gasolina localizados no interior de Minas Gerais, em cidades que compõem a base territorial do Sindicato.

     O objetivo da visita às bases foi o de informar pessoalmente aos frentistas o andamento da campanha salarial da categoria e também orientá-los acerca de seus direitos trabalhistas.

     Distribuindo exemplares do jornal “O Combate” e boletins da entidade, contendo notícias de interesse dos frentistas, os dirigentes sindicais e o advogado conversaram com muitos empregados de postos de combustíveis sobre a constante luta da entidade por melhorias salariais e melhores condições de trabalho para a classe.

     Em Barbacena, por exemplo, os sindicalistas visitaram muitos postos de combustíveis, inclusive o Belvedere e os do grupo APEC Veículos S/A.    

     Os dirigentes e o advogado do Sindicato fizeram um trabalho de orientação e esclarecimento aos frentistas, colocando-os a par de seus direitos, dissipando suas dúvidas e lhes informando sobre as negociações realizadas com o MINASPETRO (Sindicato patronal) no sentido de conseguir reajuste salarial, PLR (Participação nos Lucros e Resultados da empresa), cesta básica de alimentos e outros benefícios para a categoria.

     Guizellini ressaltou que “em quase todos os postos visitados pelo Sindicato, os trabalhadores se mostraram muito revoltados com o arrocho salarial causado pelos donos de postos de gasolina”. Isso, segundo ele, tem levado um grande número de frentistas a preferir trabalhar em outros setores, como, por exemplo, o comércio e a construção civil.

          Após trocar ideias com os trabalhadores, esclarecer suas dúvidas e ouvir suas reivindicações, bem como “fazer coro com suas revoltas e indignações causadas pelas atitudes da classe patronal contra os trabalhadores”, Guizellini se mostrou muito satisfeito com a disposição da categoria em apoiar a luta do Sindicato. “Esse trabalho de constante visitação às bases, levando a direção da entidade a manter contato pessoal, direto e permanente com os trabalhadores, é muito importante para nós e para eles também, pois propicia um entrosamento cada vez maior entre a direção do Sindicato e a categoria” – disse o sindicalista.

     Em seguida, ele acrescentou: “Já que muitos trabalhadores não podem ir ao Sindicato, a entidade vai até o local de serviço desses trabalhadores, levando informações e orientações e buscando a união de todos em torno de um objetivo comum: a conquista de mais benefícios para toda a nossa laboriosa classe profissional”.

     Segundo Guizellini, esse trabalho, que vem sendo realizado há muitos anos pelo Sindicato, “tem gerado bons frutos, fortalecendo a entidade e a categoria, razão pela qual podemos assegurar que, se Deus quiser, a visitação às bases vai continuar”.

Frentistas do Posto Salgado - ao lado do vice-presidente, presidente e diretor-secretário do SINTRAPOSTO-MG, respectivamente Rômulo Garbero, Paulo Guizellini e Luiz Geraldo Martinho - fazem sinal de “negativo” para a proposta apresentada pelo MINASPETRO (Sindicato patronal) na negociação coletiva da categoria.


2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas