O Combate
versão impressa

JUNHO 2018

 

O presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini (na cabeceira da mesa), tendo ao seu lado o advogado João Batista de Medeiros, integrante do Departamento Jurídico da entidade, participando da 2ª audiência de tentativa de conciliação designada pelo TRT-MG no Edifício-Anexo II do Tribunal, em BH, no dia 6 de junho. À direita, os representantes do MINASPETRO: Guilherme Storino (diretor), Klaiston Soares (advogado) e Maria Lúcia Di Iorio (negociadora profissional contratada pelo Sindicato patronal). O Procurador Arlélio Lage, do Ministério Público do Trabalho, folheando documentos, ao lado do Juiz Antônio Vasconcelos (de costas).

       O Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG e outras entidades de frentistas de MG realizaram no dia 6 de junho a 14ª reunião com o Sindicato patronal. Foi a segunda audiência de tentativa de conciliação designada pelo Tribunal Regional do Trabalho. No dia 1º de julho, a data-base da categoria estará completando oito meses. “Isso nunca havia acontecido neste século. O Sindicato patronal já chegou a demorar seis meses para fechar acordo, mas oito meses, jamais. Desta vez, a demora já ultrapassou todos os limites, chegando desgraçadamente ao cúmulo do absurdo. É incrível, mas esta é a dura realidade colocada pelo Sindicato patronal na vida já difícil dos frentistas, que, derramando diariamente o seu suor, proporcionam lucros fabulosos aos postos de combustíveis, mas ainda estão até hoje sem reajuste salarial” – afirmou o presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini.



 
 
 
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT comunicação visual