Janeiro 2016
página 3
 
 
Presidente do SINDEDIF-JF
faz aniversário

     Faz aniversário no dia 30 de janeiro o combativo sindicalista Luiz José da Silva, presidente do SINDEDIF-JF (Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora).

    Ao líder dos trabalhadores dos condomínios, “shoppings centers” e administradoras de imóveis desta Cidade, os parabéns do jornal “O Combate”, com votos de muitas felicidades e muitos anos de vida.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora - SINDEDIF-JF
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Avenida Getúlio Vargas, nº 828, sala 603, Centro – Juiz de Fora – MG – Telefone 0(xx)32-3215-9461
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Condomínios de JF na mira de bandidos (VII)
Polícia dá dicas de controle pela portaria para segurança nos condomínios

     Dando continuidade à série de matérias com dicas de segurança da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP), que publicou uma cartilha voltada à segurança em condomínios, com dicas contidas em sete capítulos, publicamos hoje mais uma parte do capítulo III, mostrando procedimentos preventivos básicos de segurança em condomínios.

     O capítulo I da cartilha, publicado na edição de julho do jornal “O Combate”, revelou “como deve ser a segurança de um condomínio”.

     O capítulo II foi publicado em três partes. Na edição de agosto deste jornal, publicamos as Dicas de Segurança para os Síndicos; na edição de setembro, publicamos as Dicas de Segurança aos Condôminos; e na edição de outubro, publicamos as Dicas de Segurança aos Funcionários.

     Da mesma forma, por questão de espaço, resolvemos dividir também o capítulo III em três partes. Na edição do jornal “O Combate” de novembro de 2015, publicamos a parte que fala da portaria e identificação de visitantes e prestadores de serviços. Na edição de dezembro, publicamos a parte que revela as dicas da cartilha da PMESP sobre identificação de entregadores de mercadoria (encomendas, pizzas, flores, presentes ou outros objetos) e controle de entrada e saída de prestadores de serviço por empresas de terceirização de mão de obra.   

     Nesta edição, estamos publicando a terceira e última parte do capítulo III.

     Na próxima edição do jornal “O Combate”, vamos entrar no capítulo IV da referida cartilha. Não percam. E até lá, se Deus quiser.  

A DIRETORIA

Capítulo III - Controle de Entrada e Saída de Pessoas pela Portaria.

3.1.5. Controle de entrada e saída de veículos: ● A identificação de todos os veículos que queiram entrar no condomínio é obrigação e dever do porteiro, vigia, vigilante, garagista ou zelador. Portanto, devem seguir as normas abaixo relacionadas: ● Jamais abra os portões sem antes ter certeza de que o veículo pertence a morador e que este se encontra em seu interior (ver quem é para depois abrir o portão); ● Faça inspeção visual na pessoa e no veículo; ● Nunca abra o portão da garagem a veículos e pessoas estranhas ao condomínio, inclusive não se deixe impressionar com veículos novos (de luxo) ou importados que apontem em direção da garagem; ● Antes de abrir o portão da garagem, verifique se não há risco de intrusão de alguma pessoa estranha junto com o veículo; ● Preste atenção quando o motorista estiver acompanhado por pessoas estranhas ou em atitudes suspeitas. Observe possíveis sinais de alerta por parte do motorista, pois o condômino poderá estar sob ameaça de assaltante; ● Nenhum veículo deve sair do condomínio quando o proprietário não estiver junto ou sem sua autorização expressa, principalmente quando se tratar de menor ou desconhecidos. - Em casos de veículos que venham entregar encomendas no interior do condomínio ou mudanças, além do descrito anteriormente, deve se: ● Solicitar documentação do motorista e dos ajudantes, quando houver, a fim de anotá-la em livro próprio; ● Em mudanças ou transporte de qualquer mobiliário deve-se entrar em contato com o condômino a fim de que seja certificado se realmente há sua autorização e que todo o material retirado é o determinado; ● Em mudanças, quando o condômino estiver ausente, somente deixe que o veículo seja carregado quando houver autorização por escrito por parte do morador; ● O zelador ou outro funcionário determinado pelo síndico deverá acompanhar qualquer tipo de carga ou descarga no interior do condomínio; ● Verificar se todos que entraram com o veículo estão nele saindo e/ou se alguém foi autorizado a permanecer no condomínio; ● Caso perceba alguma irregularidade, retenha o veículo e acione seu superior imediato ou, se for o caso, a Polícia; ● Para a realização de mudanças deve ser seguido o estabelecido na convenção do condomínio, sendo viável que esta não ocorra no período noturno.

3.1.6. Garagens: - Sem dúvida alguma, em se falando de proteção, a garagem é um dos pontos mais vulneráveis dos conjuntos residenciais ou de maior indisciplina e até descaso por parte dos moradores, pois estes não tomam as devidas cautelas ao entrar ou sair do condomínio, ou então deixam de seguir as orientações preconizadas em Assembleias de Condôminos. - Por este motivo, é importante construir eclusas, ou seja, dois portões acionados eletronicamente que confinem o veículo entre si, de modo que uma delas se abra somente quando a outra estiver fechada, podendo ser acionadas pela portaria ou pelo
próprio condômino, evitando-se, assim, a entrada do meliante “carona”, isto é, aquele que espera o carro entrar e aproveita a porta ainda aberta para adentrar ao condomínio e praticar, posteriormente, seus atos criminosos. - Aliado a isto, deve-se utilizar um sistema que muito se tem destacado pela sua praticidade, é aquele em que cada morador tem um controle remoto acionando o portão automático para entrar e sair da garagem sem a ação da portaria. Caso não seja possível adotar esses sistemas, torna-se necessária a contratação de garagista para controlar o acesso de veículos. Além disso, toda garagem deve possuir espelhos convexos que facilitem a visualização de porteiros ou garagistas.

3.1.7. Controle de entrada e saída de materiais: - Quando o material for deixado na portaria, o funcionário deverá tomar a seguinte atitude: ● Fazer inspeção visual na pessoa e no material; ● Verificar seu conteúdo sem, no entanto, abri-lo; ● Anotar os dados do portador, do remetente e residência do destinatário; ● Anotar a data e a hora da entrega em livro próprio; ● Conferir o material juntamente com a Nota Fiscal; ● Não autorizar a saída de pessoas estranhas ao condomínio que estejam de posse de objetos ou pacotes sem obter prévia autorização do condômino; ● Não entregar chaves, objetos ou pacotes de moradores a pessoas estranhas sem autorização expressa; ● Revistar bolsas e sacolas de funcionários e prestadores de serviço, quando o Estatuto ou Regimento Interno do Condomínio assim determinar.

2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas