Julho de 2014
página 4
 
 
Sindicato pede:

“TRABALHADORES DEVEM CONTINUAR DENUNCIANDO PATRÕES RELAPSOS”

     O SINDEDIF-JF (Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora) continua recebendo denúncias de trabalhadores contra empregadores que ainda não lhes forneceram o tíquete-alimentação. A informação é do presidente da entidade, Luiz José da Silva, em entrevista a este jornal.
     Conforme “O Combate” já noticiou, o Sindicato conseguiu para os empregados dos condomínios, centros comerciais (“shoppings centers”), administradoras de imóveis e administradoras de condomínios de Juiz de Fora um tíquete-alimentação no valor mínimo de R$ 80,00, além do aumento salarial que esses trabalhadores já estão recebendo, com efeito retroativo a 1º de janeiro. A cláusula 10ª da Convenção Coletiva de Trabalho de 2014, celebrada em março entre o SINDEDIF-JF e o Sindicato dos Condomínios de Juiz de Fora e Zona da Mata Mineira, determina que esses empregadores forneçam mensalmente, a partir de 1º de janeiro de 2014, a todos os seus empregados, impreterivelmente até o dia 30 de cada mês, o referido tíquete-alimentação.
     Acontece que alguns empregadores ainda não pagaram o valor dos tíquetes devidos. Por isso, agora, eles terão de efetuar o pagamento com multa, pois a cláusula 39ª da Convenção prevê penalidade pela violação de qualquer cláusula daquele instrumento coletivo, sujeitando o infrator, além das penalidades previstas em lei, a uma multa no valor de um piso salarial da classe, a ser paga à parte prejudicada - no caso, o empregado. O valor do piso salarial dos empregados dos condomínios comerciais, “shoppings” e administradoras é de R$ 853,66, enquanto o valor do piso salarial dos empregados dos condomínios residenciais é de R$ 806,05.
     Luiz voltou a alertar os trabalhadores para esta conquista do Sindicato: “Pedimos que os trabalhadores permaneçam atentos e continuem denunciando os patrões relapsos. Nunca é demais lembrar que a violação da Convenção gera para o infrator uma multa que será revertida, no caso, em favor do trabalhador. Mas vale ressaltar que felizmente são poucos os patrões relapsos. Quase todos os empregadores têm cumprido suas obrigações. Quem não recebeu os tíquetes deve entrar em contato imediatamente com o Sindicato para que possamos tomar as providências cabíveis”.
     O sindicalista lembra que o trabalhador pode denunciar o caso ligando para o “disque-denúncia” da entidade (telefone 3215-9461), sem precisar se identificar, bastando citar o nome do empregador, pois o Sindicato se encarrega de apurar o caso e garante sigilo total sobre a identidade do empregado denunciante.
     As denúncias dos trabalhadores podem ser feitas também na sede do Sindicato, na Avenida Getúlio Vargas, nº 828, sala 603, Centro, Juiz de Fora (MG), ou pelo site deste jornal (www.ocombate.com.br), clicando no espaço “FALE CONOSCO” (na página inicial do site, no canto superior, à esquerda).

  
Luiz José da Silva é ordenado Diácono

Juiz de Fora      Realizou-se no dia 6 de julho, na Igreja Assembleia de Deus Ministério Conquista, localizada no Bairro Nossa Senhora de Lourdes, em Juiz de Fora, a ordenação de LUIZ JOSÉ DA SILVA ao Diaconato. A função principal do Diácono na Igreja é cuidar da assistência social, servindo ao próximo e ministrando às necessidades das pessoas. A palavra DIÁCONO vem do Grego e significa servo ou ministro.
     Luiz é presidente do SINDEDIF-JF (Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora).


LUIZ JOSÉ DA SILVA sendo consagrado ao Diaconato pelo pastor evangélico Fábio Teotônio, da Igreja Assembleia de Deus Ministério Conquista.

PLANTÃO NOTURNO NOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS DE JUIZ DE FORA PARA EVITAR ASSALTOS

     Em sua edição nº 293, “O COMBATE” publica a seguinte proposta do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região - SINTRAPOSTO-MG, o Sindicato dos frentistas: em face dos constantes assaltos a postos de combustíveis em Juiz de Fora, colocando em perigo a vida dos frentistas, que os postos sejam fechados no período de 22h30min às 6h00min.
     A medida solicitada é consequência da falta de vigilância e impossibilidade da Polícia Militar de estar presente a um só tempo em diversos locais suscetíveis de ataques, considerando-se que os postos de gasolina situam-se em várias regiões da Cidade.
     A fim de se evitar um “apagão” durante a noite até de manhã, sugere-se que em vez de seu fechamento, se estabeleça um plantão no referido horário. E se esclareça quais os postos que estarão funcionando. Neles, uma vigilância reforçada e permanente durante o plantão.
     Outro esquema seria projetado para os horários diurnos.
    Não se pode olvidar o crescimento periódico do número de automóveis, ônibus, caminhões e motos circulando pela Cidade, todos eles dependentes dos postos de combustíveis a todos os momentos.
     É melhor acender uma vela do que amaldiçoar a escuridão...

M.R.Gomide – Jornalista e Redator de Turismo do jornal “O Combate”

2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas