Julho de 2015
página 2
 
 
MINASPETRO nega pedidos dos frentistas

O advogado do MINASPETRO, Klaiston Soares (à esquerda), ouve as ponderações do presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini (ao centro, gesticulando), durante a reunião, na sede do Sindicato dos frentistas de JF e Região, no dia 24 de junho. (Foto: Arquivo “O Combate”)

O Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região - SINTRAPOSTO-MG recebeu e-mail do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (MINASPETRO) no dia 20 de julho negando atendimento a todas as reivindicações dos frentistas incluídas na pauta apresentada à entidade patronal pelo SINTRAPOSTO-MG e por outras duas entidades que representam frentistas em Minas Gerais (SINPOSPETRO-BH E FENEPOSPETRO-MG) durante o encontro quadrimestral realizado entre o Sindicato patronal e as entidades trabalhistas no dia 24 de junho.

     No encontro, como se recorda, os representantes dos frentistas pediram ao MINASPETRO a concessão de antecipação salarial, reajuste da cesta básica de alimentos, fornecimento gratuito de lanches para os trabalhadores, a adoção urgente de diversas medidas de segurança contra assaltos a postos de combustíveis e a adesão do Sindicato patronal a uma campanha das entidades trabalhistas para combater o costume de se encher o tanque do veículo até a boca na hora do abastecimento nos postos de combustíveis.

     Prevista na cláusula 35ª da Convenção Coletiva de Trabalho da categoria como encontro quadrimestral, a reunião aconteceu na sede do SINTRAPOSTO, em Juiz de Fora.

     A data-base (ocasião de reajuste salarial e renovação da Convenção) da classe é 1º de novembro, mas o SINTRAPOSTO pediu a realização de tal encontro a fim de solicitar ao Sindicato patronal a concessão de benefícios para os frentistas, principalmente a antecipação de reajuste salarial para a recomposição dos salários corroídos pela inflação.

Antecipação salarial e reajuste da cesta básica entre os pedidos dos trabalhadores

     Na reunião, o presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, representou também a FENEPOSPETRO-MG (Federação Nacional dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo – área de Minas Gerais), a pedido do seu diretor, Hozano Félix Silva. Quem representou o Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo, Lava Rápido e Troca de Óleo de Belo Horizonte e Região – SINPOSPETRO-BH, foi o seu diretor-tesoureiro Kleber Alessandro da Silva Agrella Takatu.

     Durante a reunião, os sindicalistas entregaram ao advogado Klaiston Soares de Miranda Ferreira, representante do Sindicato patronal no encontro, um ofício apresentando a pauta de reivindicações dos trabalhadores representados pelas entidades trabalhistas presentes.

     Na pauta, as entidades pediram que todos os salários dos empregados em postos de combustíveis, lava-rápido, estacionamentos e lojas de conveniências (enfim, de toda a categoria profissional representada pelo SINTRAPOSTO-MG, FENEPOSPETRO-MG e SINPOSPETRO-BH) fossem reajustados em 1º de julho de 2015, a título de antecipação salarial, mediante a aplicação da variação acumulada do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), medido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), verificada no período de 01/11/2014 a 30/04/2015. Se o Sindicato patronal tivesse atendido ao pedido, este índice, de 6,09%, seria aplicado sobre os valores dos salários da categoria referentes ao mês de novembro de 2014, como forma de se repor as perdas salariais decorrentes da inflação, recuperando-se, assim, o poder aquisitivo dos salários da categoria corroídos pela inflação do período de 01/11/2014 a 30/04/2015.

     As entidades pediram também que o valor da cesta básica de alimentos, prevista na Convenção, fosse reajustado em 1º de julho de 2015, a título de antecipação de valores para reposição de perdas causadas pela inflação, mediante a aplicação do percentual de 30% sobre os valores da cesta básica de alimentos da categoria referentes ao mês de novembro de 2014, como forma de se repor as perdas decorrentes da inflação, recuperando-se, assim, o poder aquisitivo do valor da cesta básica da categoria corroído pela inflação do período de 01/11/2014 a 30/04/2015.

     Também foi abordada nessa reunião a questão da necessidade de adoção urgente de medidas preventivas de segurança contra assaltos a postos de gasolina, já que o número de roubos a esses estabelecimentos vem aumentando cada vez mais em Minas Gerais. Em Juiz de Fora, por exemplo, tem sido terrível e assustadora a onda de ocorrências desse tipo, conforme “O Combate” vem noticiando já há muito tempo. As entidades trabalhistas pediram que as empresas do setor fossem obrigadas a adotar imediatamente diversas medidas de segurança para inibir a ocorrência de assaltos a postos de combustíveis.

     A íntegra da pauta de reivindicações dos frentistas, contendo, inclusive, tais medidas de segurança (uma delas proibindo os postos de combustíveis de funcionarem entre 22:30 e 06:00 horas), está no site deste jornal (www.ocombate.com.br) ou no blog do Sindicato (sintrapostomg.blogspot.com).

A resposta do Sindicato patronal
para os trabalhadores

Durante a reunião, o advogado do Sindicato patronal garantiu que a resposta do MINASPETRO à pauta de reivindicações dos frentistas seria dada até o dia 20 de julho de 2015. E realmente, no dia marcado, o Sindicato patronal enviou ao SINTRAPOSTO o seguinte e-mail:

     “Prezados Senhores;

       No dia 24 de Junho último realizamos a nossa reunião quadrimestral que foi muito produtiva.

      O "Minaspetro" ficou de passar uma resposta até a data de hoje, sobre as ponderações apresentadas pelos sindicatos profissionais naquela assentada.

     Todavia, após amplos debates sobre as propostas da categoria profissional com a Comissão de negociação coletiva; a Diretoria e; a Assembléia do Minaspetro, a categoria econômica chegou a conclusão de que, diante da grave crise que assola o país, como aumento considerável de demissões, não é o momento oportuno de alteração das convenções coletivas de trabalhos vigentes, sendo necessário aguardarmos as negociações quando da data base.

     Sendo só para com o momento.

     Atenciosamente,

Klaiston Soares Miranda - Coordenador Jurídico Trab./Sindical MINASPETRO / FECOMBUSTÍVEIS.”

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
   EXPEDIENTE 

Jornal fundado pelo jornalista Djalma Medeiros em 06 de julho de 1952. Registrado no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas da Comarca de Juiz de Fora sob o nº 80.
Diretor-Redator-Presidente:
João Batista de Medeiros - Colaborador: M.R. Gomide (Redator de Turismo).
Redação: Rua Osvaldo Xavier de Souza, 586 - CEP 36.071-450 - Bairro: Santo Antônio Juiz de Fora - Minas Gerais - Celular: (32) 8845- 2991. E-mail:
ocombate.jm@gmail.com

2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas