Maio de 2012
primeira pág.
 
 
A difícil luta do SINTRAPOSTO para conquistar
melhorias salariais e outros benefícios para os frentistas

Reunião realizada no dia 13 de abril de 2012, entre o SINTRAPOSTO-MG e o MINASPETRO, na Gerência Regional do Trabalho e
Emprego em Juiz de Fora. À direita, o presidente do SINTRAPOSTO, Paulo Guizellini. À esquerda, os advogados Klaiston Soares de
Miranda Ferreira e Artur Soares Machado Neto (de costas), representantes do MINASPETRO. Ao centro, o Chefe do Setor de Relações
do Trabalho da GRTE/JF, José Tadeu de Medeiros Lima, mediando a reunião, na qual foi celebrada a nova Convenção Coletiva de
Trabalho da categoria.

     Conforme “O Combate” noticiou em sua edição de abril, somente depois de participar de seis reuniões com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (MINASPETRO) é que, finalmente, o Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG conseguiu encerrar a campanha salarial de 2011 dos trabalhadores nos postos de gasolina, lojas de conveniência, lava rápidos, estacionamentos e garagens de Juiz de Fora e Região.
      Ao assinar a nova Convenção Coletiva de Trabalho da categoria, após firmar acordo com o Sindicato patronal durante reunião realizada no dia 13 de abril, na sede da Gerência Regional do Trabalho e Emprego em Juiz de Fora, o presidente do SINTRAPOSTO, Paulo Guizellini, afirmou: “É muito importante que os trabalhadores fiquem sabendo como é difícil a nossa luta para conseguir reajuste salarial e outros benefícios para a categoria”. Segundo ele, “o Sindicato patronal não tem boa vontade quando se trata de reajustar os salários da categoria e nunca se sensibiliza diante das necessidades dos trabalhadores”.
       O sindicalista ressaltou que “também desta vez, exatamente como nos anos anteriores, o MINASPETRO criou as maiores barreiras e dificuldades para a concessão de reajuste salarial para a categoria”.
      Confira na página 2 o andamento da campanha salarial de 2011 dos trabalhadores representados pelo SINTRAPOSTO e veja como foi difícil realmente a luta da entidade pela conquista de reajuste salarial e outros benefícios para a categoria.

Ministério do Trabalho manda empregadores enviarem aos Sindicatos trabalhistas a relação dos empregados que pagaram a Contribuição Sindical

     O Ministério do Trabalho e Emprego, através da NOTA TÉCNICA/SRT/MTE/Nº 202/2009, determina que os empregadores enviem aos Sindicatos trabalhistas a relação dos empregados que pagaram a Contribuição Sindical.
     Na referida norma, o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), atendendo solicitação do Instituto FGTS Fácil, revigora o entendimento relativo à obrigação de os empregadores remeterem à entidade sindical a relação nominal dos empregados contribuintes da Contribuição Sindical profissional.
      O documento ministerial afirma que “os empregadores devem encaminhar, às entidades sindicais de trabalhadores, relação nominal dos empregados contribuintes, da qual constem, além do nome completo, o número de inscrição no Programa de Integração Social - PIS, a função exercida, a remuneração percebida no mês do desconto e o valor recolhido”.
      Segundo a Nota Técnica do MTE, “a relação pode ser enviada por meio magnético ou pela internet, ou ainda ser encaminhada cópia da folha de pagamentos do mês relativo aos descontos, conforme entendimento entre o empregador e a entidade sindical”.
      E o prazo mais razoável para isso, ainda de acordo com o mencionado documento ministerial, “é de quinze dias depois de efetuado o recolhimento da contribuição sindical profissional”.

2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas