Março de 2014
página 4
 
 
SINTRAPOSTO
doa material escolar a seus associados

     A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região - SINTRAPOSTO-MG, preocupada com a difícil situação financeira vivida pelos trabalhadores de baixa renda, achou por bem contribuir, dentro de suas possibilidades, para aliviar um pouco o fardo pesado que os associados da entidade carregam na área educacional.
     Assim, para incentivá-los a estudar e ajudá-los na manutenção de seus filhos na escola, o Sindicato, a exemplo dos anos anteriores, doou recentemente vários artigos de material escolar a todos os seus associados que se inscreveram para tal. “Esta é a forma que encontramos para ajudar os nossos companheiros trabalhadores e seus filhos a estudarem neste momento difícil que o Brasil vive, quando os estudos e o material escolar estão realmente muito caros” – afirmou o presidente do SINTRAPOSTO, Paulo Guizellini.
     Em seguida, ele acrescentou ter ficado satisfeito com o fato de o Sindicato ter podido dar a sua parcela de colaboração “modesta, mas espontânea, de boa vontade e de coração”, para amenizar um pouco a luta de seus associados na área educacional.
     Segundo Guizellini, a diretoria do SINTRAPOSTO achou por bem fazer tal distribuição de material escolar para que os filhos dos frentistas, ou mesmo os frentistas que queiram estudar, possam frequentar as salas de aula, aprendendo mais e adquirindo qualificação profissional cada vez melhor, sem gastarem dinheiro com material escolar.

+ Clique nas imagens para ampliar
luiz-jose-da-silva_joao-batista-medeiros luiz-jose-da-silva_joao-batista-medeiros
O presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, entregando material escolar a filhos de frentista, e diante de grande quantidade de material escolar na sede do Sindicato no dia 29 de janeiro.
 
Beneficiados elogiam atitude da diretoria do Sindicato

     A entrega do material escolar aos sindicalizados aconteceu na sede do SINTRAPOSTO-MG, na Rua Halfeld, nº 414, sala 609, Centro de Juiz de Fora, no dia 29 de janeiro. Na ocasião, muitos dos beneficiados fizeram questão de ressaltar a importância dessa doação e elogiaram a atitude da diretoria do Sindicato.
     Aline de Oliveira, esposa de frentista, ao receber o material escolar para o seu filho Vítor, de 7 anos e que está cursando o 3º ano do ensino fundamental, disse que essa doação do Sindicato “é uma maravilha e vai ajudar muito no orçamento doméstico”. Em seguida, ela acrescentou: “Estou muito satisfeita. O material é de excelente qualidade”.
     O frentista Paulo Vítor Rodrigues Ramos, que tem três filhos na escola, afirmou: “Isso é uma boa, ajuda muito no nosso orçamento doméstico. No meu caso, a economia é de mais de R$ 400,00. E o material é de boa qualidade. Estou muito satisfeito”.
     O frentista Laércio da Silva, recebendo material para sua filha Maria Clara, de 7 anos, também disse que essa doação feita pelo Sindicato “é uma boa”. E acrescentou: “Facilita muito para nós, porque assim não temos de gastar dinheiro com material escolar, justamente nesta época, início de ano, em que a gente tem muitos impostos, muitas contas e outros gastos de final de ano para pagar, e o material escolar está muito caro. Isso ajuda muito no nosso orçamento, com certeza. Além disso, nem temos que enfrentar as grandes filas nas papelarias. Estou muito feliz e contente com essa atitude do Sindicato”.
     Pegando material pela 4ª vez para um filho que está cursando a 7ª série do ensino fundamental, o frentista Cleisson Ângelo Araújo também classificou de “uma boa” a doação de material escolar pelo Sindicato: “Eu acho uma boa, principalmente porque estou encostado pelo INSS porque sofri acidente e essa doação me ajuda muito, pois é menos um gasto no meu orçamento. O material é de ótima qualidade e eu estou muito satisfeito”.
     José Francisco de Souza, manobrista, ao pegar material escolar para dois filhos, disse que essa doação “é uma ajuda muito boa, pois alivia muito o peso do orçamento doméstico”. Ele contou que ganha material escolar do Sindicato há muitos anos e por isso pode garantir que “todo o material doado pelo Sindicato sempre foi de muito boa qualidade”. E arrematou: “Estou muito satisfeito”.
     O frentista Wilson Lopes Tone, que tem duas filhas, Natália e Rafaela, ao levar material escolar para elas, ressaltou: “É uma distribuição muito boa, ajuda muito a gente, pois temos filhos para criar, e o material escolar está muito caro. A ajuda é bem-vinda. Eu pego material escolar aqui há cinco anos, e sei que ele é de muito boa qualidade. Estou muito satisfeito com essa ajuda que o Sindicato está nos oferecendo todos os anos. Isso alivia muito o peso do custo do material escolar no nosso orçamento”.
     O frentista Carlos Henrique Pereira estava levando material escolar para suas filhas Lara e Larissa e também fez questão de expressar seu agradecimento à direção do Sindicato: “Eu acho muito boa esta distribuição de material escolar feita pelo Sindicato para nós, trabalhadores, pois isso nos ajuda muito e é um incentivo para que nossos filhos e nossas filhas continuem estudando. Só tenho a agradecer. Estou muito satisfeito com esse benefício que ajuda a aliviar o peso dos gastos no nosso orçamento. Quem deveria fazer isso não faz, mas pelo menos o Sindicato faz isso para nós. Se eles lá não fazem, pelo menos tem quem faz pela gente”.
     O reconhecimento manifestado pelos associados beneficiados deixou muito contente o presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, que assinalou: “A gente fica feliz por saber que os nossos companheiros trabalhadores estão satisfeitos com a atuação do Sindicato. Os associados contribuem para o fortalecimento do Sindicato. E a entidade retribui, dando material escolar e muitos outros benefícios aos associados”.
     Diante de vários associados e uma grande quantidade de material escolar, Guizellini fez questão de ressaltar: “Tudo isso foi comprado com recursos próprios do Sindicato e doado a todos os associados que se inscreveram para tal. E vale destacar: doado de boa vontade e de coração. Nesta hora, o nosso coração pulsa forte de tanta alegria por poder contribuir para que os trabalhadores e seus filhos possam estudar”.

     A capa toda negra, onde se lê "Peur sur le Mondial", algo como: "O mundial do medo", sendo que na letra O da palavra "mondial" está a bandeira do Brasil, e onde deveria estar escrito "Ordem e Progresso", foi colocada uma tarja negra (foto ilustrativa). No subtítulo a revista diz: “Atingido por uma crise econômica e social, o Brasil está longe de ser aquele paraíso imaginado pela FIFA para organizar uma Copa do Mundo, a menos de 5 meses do mundial, o Brasil virou uma terrível fonte de angústia”.
     A revista FF é a mais respeitada publicação de futebol no mundo.
    O prêmio "Ballon d'Or", foi criado por ela, e a FIFA teve que pagar para ter o direito de promover tal prêmio. Também foi dela a série de reportagens que culminaram na suspensão do campeonato Italiano de 2005/06, assim como as denúncias de corrupção que resultaram na queda de João Havelange. A revista pode ser acessada no site: www.francefootball.com, mas apenas se vê a capa. A reportagem, de 12 páginas, não está liberada no Brasil.

2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas