Março 2016
página 3
 
 
“Benefícios foram conquistados a duras penas, depois de muita luta” – afirma Guizellini
O presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini (o 3º, da esquerda para a direita), ao lado do advogado João Batista de Medeiros (o 4º), integrante do Departamento Jurídico da entidade, falando durante a 8ª reunião com a Comissão Negociadora do MINASPETRO (à direita), na sede do Sindicato patronal, em Belo Horizonte, no dia 3 de março.

     “Vale lembrar que todos esses benefícios que conseguimos para todos os empregados dos postos de combustíveis, desde o pessoal de escritório até os gerentes, não vieram ‘de mão beijada’, mas sim foram conquistados a duras penas, ou seja, com grandes dificuldades, depois de muita luta, sendo que tivemos de realizar oito exaustivas reuniões com o Sindicato patronal” – a afirmação é do presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, ao anunciar o encerramento de mais uma campanha salarial da categoria.

     Segundo o sindicalista, a campanha salarial dos frentistas de Minas Gerais “foi vitoriosa, apesar dos pesares”.

     Guizellini salientou que “os trabalhadores de modo geral estão enfrentando muitas dificuldades nas negociações coletivas com os sindicatos patronais não só por causa do antigo costume dos patrões de não olharem com bons olhos os pedidos dos trabalhadores, principalmente reajustes salariais, mas também porque o momento nacional possui um dado desfavorável a mais para dificultar mais ainda a luta dos trabalhadores por reajustes salariais: a grave crise político-econômica que está atormentando o Brasil”.

    Em seguida, Guizellini assinala: “Mesmo assim, além de vários outros importantes benefícios, conseguimos um significativo reajuste salarial de 12%, com efeito retroativo a 1º de novembro de 2015, data-base da categoria, e como o INPC do período foi de 10,33%, o ganho real dos trabalhadores foi de 1,67%, sendo que pouquíssimas categorias conseguiram ou estão conseguindo ganho real neste cenário de grave crise que o País está vivendo”.  E o sindicalista arremata: “Por isso, podemos dizer que a nossa luta foi coroada de êxito, com os trabalhadores e as trabalhadoras dos postos de combustíveis recebendo importantes benefícios conquistados por este Sindicato”.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
 
Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora - SINDEDIF-JFbr /> ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Avenida Getúlio Vargas, nº 828, sala 603, Centro – Juiz de Fora – MG – Telefone 0(xx)32-3215-9461
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Condomínios de JF na mira de bandidos (IX)
Polícia mostra modo de agir dos bandidos que assaltam condomínios

     Continuando a série de matérias com dicas de segurança da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP), que publicou uma cartilha voltada à segurança em condomínios, com dicas contidas em sete capítulos, publicamos hoje a segunda e última parte do capítulo IV, mostrando mais procedimentos preventivos básicos de segurança em condomínios.

     Na próxima edição do jornal “O Combate”, vamos publicar o capítulo V da referida cartilha. Não percam. E até lá, se Deus quiser.  

A DIRETORIA

Capítulo IV - Modo de agir dos ladrões.

4.2. Situações que levantam suspeitas: - Verificaremos, a seguir, situações em que as pessoas podem estar em atitude suspeita e que demandam observação minuciosa por parte de todos os integrantes do condomínio: ● Pessoas paradas estranhamente na rua, lendo jornal ou andando vagarosamente próximas ao condomínio, observando-o atentamente; ● Indivíduos que permaneçam parados em ponto de ônibus, sem tomar nenhum deles; ● Pessoas que demonstrem nervosismo sem motivo aparente; ● Mendigos ou vendedores-ambulantes estranhos ao local; ● Aparentes funcionários da Companhia Telefônica, de Água e Esgoto, de Energia Elétrica, de entrega de Gás, etc., que simulam consertos a serem executados; ● Indivíduos fazendo aparentes consertos demorados em automóveis próximos à entrada do condomínio; ● Pessoa que preste muita atenção ao condomínio, observando principalmente sua portaria ou garagem; ● Pessoas que estejam de carro, motocicleta ou bicicleta, sempre com os mesmos ocupantes, que passem lentamente, por várias vezes, em frente do condomínio como se estivessem observando a rotina da portaria e da garagem. Nestes casos procure anotar os dados do veículo (placa, modelo, cor, etc.) e as características das pessoas (sexo, altura, cor, roupas, etc), transmitindo-os à polícia; ● Indivíduos que demonstrem muito interesse pelo sistema de segurança do condomínio; ● Pessoas andando juntas, vagarosamente, sem conversar; ● Indivíduos com roupa de inverno (pesadas) em tempo quente; ● Pessoas usando possíveis disfarces, tais como peruca, barba, bigode, óculos escuros em dia sem sol; ● Técnicos não solicitados (telefone, eletricistas, gás, eletrodomésticos, serviços gerais, etc.) que insistam em entrar no condomínio ou que solicitem consertos nas residências; ● Pessoas muito bem vestidas e extremamente simpáticas que se fazem passar por compradores de imóveis que, procurando ganhar a confiança dos porteiros, conseguem entrar nas dependências do condomínio, a fim de consumar seus delitos; ● Vendedores, pedintes, pregadores religiosos que insistam em entrar no condomínio ou que solicitem a presença de moradores à portaria; ● Pessoas que, durante a conversa, escondam as mãos em bolsos de blusas ou de jaquetas, onde possam estar escondendo armas. ● Indivíduos que observam um veículo (quando estacionado) e/ou pareçam aguardar a chegada do dono para apanhá-lo; ● Motoristas ou motoqueiros que se aproximem exageradamente de moradores quando estiverem adentrando ao condomínio; ● Pessoas em grupo ou mesmo isoladas que procurem aproximação física de moradores nas proximidades do condomínio; ● Veículos estacionados nas imediações do condomínio por muito tempo, com pessoas em seu interior, principalmente à noite; ● Veículo estacionado nas proximidades do condomínio por mais de 24 horas, parecendo haver sido abandonado no local; ● Telefonemas de pessoas estranhas que solicitam informações confidenciais e pessoais de moradores ou de funcionários do condomínio; ● Desaparecimento de correspondências da caixa do correio do condomínio; ● Pessoas que resistam quando lhes é solicitado algum documento de identidade na portaria do condomínio; ● Indivíduos muito bem trajados, que se fazem passar por pessoas de classe social elevada, intitulando-se doutores ou mesmo autoridades, forçando sua entrada no condomínio, intimidando os porteiros; ● Pessoas na rua simulando acidentes e que pedem socorro, solicitando, inclusive, para entrar no condomínio, a fim de ligar para os órgãos de emergência, o que pode ser uma armadilha ou cilada; ● Entregadores de pizzas, flores, refeições, etc., e mesmo de encomendas.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas