Novembro de 2012
página 2
 
 
FRENTISTAS AINDA NÃO TÊM
REAJUSTE SALARIAL
O advogado João Batista de Medeiros (o primeiro à esquerda), integrante do Departamento Jurídico do
SINTRAPOSTO-MG, ao lado do presidente da entidade que representa os frentistas de Juiz de Fora e Região,
Paulo Guizellini, participando da Segunda reunião com a Comissão Negociadora do MINASPETRO (à direita),
na sede do Sindicato patronal, em Belo Horizonte, no dia 27 de novembro

     A campanha salarial dos empregados dos postos de combustíveis de Minas Gerais, iniciada em outubro, continua sem
definição.
     Ao lado das outras entidades que representamos de mais empregados dos postos de gasolina deste Estado, o Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região - SINTRAPOSTOMG realizou no dia 27 de novembro a segunda rodada de negociação com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (MINASPETRO), objetivando a celebração de Termo Aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho da categoria para fixação dos novos valores do salário-base da classe, da cesta básica de alimentos e da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) da empresa, além do prazo de vigência do chamado “salário de ingresso”.
    
     Iniciada às 15h57min, a segunda reunião da negociação coletiva deste ano terminou às 18h11min. Os representantes dos trabalhadores e os da classe patronal não chegaram a um acordo sobre o índice de reajuste a ser aplicado aos salários dos trabalhadores, nem quanto ao novo valor da cesta básica e da PLR.
     A reunião aconteceu na sede do MINASPETRO, em Belo Horizonte, mesmo local em que ocorreu a primeira rodada de negociação, no dia 20 de novembro, quando também não houve acordo após duas horas de negociação.
     Para o presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, a proposta do MINASPETRO apresentada na segunda rodada de negociação (somente 4,94% de reajuste salarial, mantendo-se os mesmos valores da cesta e da PLR) “não atende às mínimas necessidades dos frentistas”.
     Diante da dificuldade de acordo, as entidades, após mais de duas horas de negociação, marcaram nova reunião para o dia 11 de dezembro.

PRAZO DE VIGÊNCIA DO "SALÁRIO DE INGRESSO"

     O prazo de vigência da atual Convenção Coletiva de Trabalho da categoria é de dois anos, ou seja, entre 01/11/2011 e
31/10/2013. A negociação coletiva nesta data-base (1º de novembro de 2012) está tratando apenas das cláusulas econômicas (reajuste salarial, cesta básica e PLR), além do prazo de vigência do “salário de ingresso”, que o SINTRAPOSTO quer eliminar.
     Este quarto item (“salário de ingresso”) foi incluído na pauta desta negociação porque na reunião realizada no dia 13 de
abril de 2012, na sede da Gerência Regional do Trabalho e Emprego em Juiz de Fora (Ministério do Trabalho e E m p r e g o ) , quando o SINTRAPOSTO-MG e o MINASPETRO, após seis rodadas de negociação, finalmente celebraram a atual Convenção, o mediador José Tadeu de Medeiros Lima, Chefe do Setor de Relações do Trabalho da GRTE-JF, diante da proposta do SINTRAPOSTO de extinção do “salário de ingresso”, propôs a redução do prazo de vigência do mesmo, que hoje é de 90 dias, e o MINASPETRO aceitou incluir na Convenção o compromisso de tratar deste assunto nesta data-base.
     O "salário de ingresso" (cujo valor, hoje, é de R$ 655,24, enquanto o valor do salário básico da classe é de R$ 670,00)
só pode ser pago aos trabalhadores que nunca pertenceram à categoria.

CAMPANHA SALARIAL UNIFICADA

     A exemplo do que aconteceu em anos anteriores , o SINTRAPOSTO vem participando das negociações como MINASPETRO juntamente com os outros Sindicatos defrentistas de Minas Gerais e com a Federação Nacional dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo (FENEPOSPETRO).
     Assim, estão atuando em conjunto, com pauta unificada, as seguintes entidades que representam os empregados dos postos de combustíveis de Minas Gerais: SINTRAPOSTO-MG (que representa os frentistas de Juiz de Fora e Região); FENEPOSPETRO (que representa os frentistas onde não há base territorial de Sindicato da categoria); Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados d e Petróleo de Belo Horizonte e Região; Sindicato dos Empregados em Postos de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Uberaba e Região; e Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo, Lava-Rápido e Troca de Óleo do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas