Novembro 2017
página 4
 
 
SINDEDIF-JF celebra acordos que beneficiam diversos trabalhadores

O diretor e o presidente do SINDEDIF-JF, respectivamente Francisco de Assis dos Santos Passos e Luiz José da Silva, juntamente com empregados do Condomínio do Independência Shopping, logo após a assembleia que aprovou o acordo para pagamento de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) da empresa aos trabalhadores.

     O Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora - SINDEDIF-JF celebrou recentemente dois acordos coletivos de trabalho para benefício de vários trabalhadores.

Um ACT foi firmado com o Condomínio do Empreendimento Personale Residences para concessão de cesta básica de alimentos/prêmio de assiduidade e o outro com o Condomínio do Independência Shopping para pagamento de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) da empresa aos trabalhadores.

Pelo acordo feito com o Personale Residences, os empregados do mencionado Condomínio representados pelo SINDEDIF-JF receberão cesta básica de alimentos/prêmio de assiduidade em valor mensal que pode chegar a R$ 300,00, em dinheiro, dependendo dos atrasos e faltas de cada empregado ao serviço durante o mês. É que o prêmio está vinculado a critérios objetivos de assiduidade, que será aferida mensalmente, observando-se uma determinada modulação. O trabalhador que, durante o mês, tiver atrasos e faltas inferiores a uma hora acumulada receberá 100% do prêmio, ou seja, a quantia de R$300,00, e este valor vai diminuindo de acordo com o número de atrasos e faltas do empregado ao serviço durante o mês.

Na avaliação do presidente do SINDEDIF-JF, Luiz José da Silva, o acordo “é altamente positivo para os trabalhadores beneficiados pelo mesmo, pois é claro que o empregador não tem obrigação de premiar o empregado que não falta ao serviço, mas, no caso, por força do acordo firmado entre o Condomínio e o Sindicato, o trabalhador assíduo será recompensado”. Segundo o sindicalista, “seria ótimo se outros empregadores seguissem o exemplo do Condomínio do Empreendimento Personale Residences e também celebrassem acordo desse tipo com o Sindicato”.

Já o acordo celebrado com o Independência Shopping, que prevê o pagamento de PLR a diversos trabalhadores, também foi considerado por Luiz como “muito importante porque remunera melhor esses empregados que serão beneficiados”.


Sindicato dos Empregados em Edifícios e nas Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Comerciais e Residenciais de Juiz de Fora - SINDEDIF-JF
------------------------------------------------------------------------------------------------------
Avenida Getúlio Vargas, nº 828, sala 603, Centro – Juiz de Fora – MG – Telefone 0(xx)32-3215-9461

O CLAMOR DOS TRABALHADORES

    Infelizmente, as notícias existentes hoje para os trabalhadores e as trabalhadoras do Brasil não são nada boas. Por isso, eles estão clamando aos Céus e às autoridades deste País.

     Estamos diante de ameaças, riscos e perigos de uma agenda governamental abertamente contrária aos interesses da classe trabalhadora e do movimento sindical trabalhista do nosso País, na qual estão incluídas a proposta absurda de reforma da Previdência Social e as já concretizadas reformas que possibilitam a terceirização da atividade-fim (terceirização generalizada da economia para maior precarização do trabalho) e a flexibilização da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) representada pela maldita reforma trabalhista.

     A terceirização da atividade-fim poderá trazer enormes prejuízos aos trabalhadores e às trabalhadoras deste País, desvalorizando a força de trabalho. Da mesma forma, a maldita reforma trabalhista, que é um antigo sonho dos capitalistas brasileiros, também prejudicará muito a classe trabalhadora. Aliás, as duas malditas mudanças desgraçadamente já começaram a abrir caminho a um dramático retrocesso na vida da classe operária que antes era protegida pela legislação.

     Essas ameaças, esses riscos e esses perigos estão rondando os trabalhadores e as trabalhadoras do Brasil como se a classe operária já não tivesse tanto fardo para carregar. A carga tributária brasileira é uma das mais pesadas do mundo e vem crescendo de maneira contínua e assustadora. E o povo, principalmente a classe operária, não recebe a devida compensação pelos impostos pagos. Temos serviços públicos de países de terceiro mundo (países pobres), sendo que o Brasil não é um país pobre. A corrupção é que empobrece o povo e enriquece muitos falsos políticos, lobos travestidos de cordeiros ou ladrões travestidos de políticos.

     Como se tudo isso já não bastasse, ainda existem neste País os maus empregadores que exploram covardemente o suor de seus empregados. Aqui tem muita gente considerada “boa” que comete esse pecado horrível que tem muito a ver com o caráter da pessoa. Tem muita gente que explora impiedosamente o trabalho dos outros, gente de mau caráter que não paga os devidos direitos trabalhistas a seus empregados, gente covarde que retém o salário do pobre trabalhador, gente desumana que pratica injustiça social.

     E diante de tanta exploração, os trabalhadores e as trabalhadoras clamam por Justiça.

     O que se espera dos congressistas e governantes eleitos pelo povo é que ouçam os clamores desse povo e olhem com mais carinho e atenção os anseios e as expectativas da maioria da população, que precisa avançar numa justa política de valorização do trabalho e dos trabalhadores.

A DIRETORIA

22011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas