Outubro de 2013
página 2
 
 
Incidente e tensão na 2ª reunião dos
frentistas com MINASPETRO

O presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini (o terceiro da direita para a esquerda), ao lado do advogado João Batista de Medeiros, integrante do Departamento Jurídico da entidade, participando da segunda rodada de negociação com a Comissão Negociadora do MINASPETRO (à esquerda), na sede do Sindicato patronal, em Belo Horizonte, no dia 21 de outubro.

     O Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região - SINTRAPOSTO-MG, juntamente com outras entidades que representam os demais empregados dos postos de gasolina de Minas Gerais, realizou no dia 21 de outubro mais uma reunião com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (MINASPETRO).
     O encontro representou a segunda rodada de negociação referente à data-base deste ano objetivando a celebração da nova Convenção Coletiva de Trabalho da categoria para fixação dos novos valores do salário-base da classe, da cesta básica de alimentos e da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) da empresa, além de outros benefícios.
     Durante quatro horas, os representantes dos trabalhadores e os da classe patronal continuaram a discutir as cláusulas sociais da pauta de reivindicações dos trabalhadores, já que na reunião anterior, realizada no dia 8 de outubro, ficou decidido que as cláusulas sociais seriam analisadas e debatidas antes das cláusulas econômicas, que tratam dos novos valores do salário, da cesta básica e da PLR.
     Iniciada às 15 horas, a reunião terminou às 19h10min e aconteceu na sede do MINASPETRO, em Belo Horizonte, mesmo local em que foi realizada a primeira reunião, quando os representantes dos trabalhadores e os da classe patronal começaram a discutir as cláusulas sociais da minuta.
     Logo no início da segunda rodada de negociação, houve um momento de grande tensão. O presidente da FENEPOSPETRO, Francisco Soares de Souza, que abriu os trabalhos, disse que a proposta da categoria no que se refere às cláusulas sociais visa a ampliar os direitos trabalhistas já previstos pela legislação vigente. O advogado do Sindicato patronal, Klaiston Soares de Miranda Ferreira, retrucou dizendo que “90% da pauta de reivindicações da categoria profissional já está previsto em lei” e que a Comissão Negociadora do MINASPETRO estava disposta a discutir com os representantes dos trabalhadores todas as cláusulas sociais da pauta, mas que a Assembleia Geral da classe patronal já havia rejeitado todos os pedidos dos trabalhadores no tocante à parte social da minuta. Logo em seguida, o advogado Júlio Campos, do Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Belo Horizonte e Região, afirmou, então, que “esta reunião é um “teatro”. Isso deixou muito irritado o advogado do Sindicato patronal, que, com os ânimos bastante exaltados, rebateu dizendo que “isso aqui não é teatro” e que poderia “encerrar as discussões das pautas de reivindicações para tratarmos somente do salário e da PLR”. Em poucos minutos, entretanto, o advogado patronal se acalmou, e, assim, terminou o incidente, que havia gerado um profundo mal-estar no ambiente da reunião.
     Por fim, já no início da noite, as entidades resolveram encerrar os trabalhos e marcar nova reunião, agendando, então, para o dia 31 de outubro a realização da terceira rodada de negociação.
     O presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, disse esperar que a avaliação das cláusulas sociais pelo Sindicato patronal seja concluída no próximo encontro para que o processo de negociação possa, então, passar a discutir as cláusulas econômicas. “É lógico que os nossos pedidos de ordem social também são muito importantes, pois visam a ampliar os direitos trabalhistas já previstos em lei, como bem afirmou o presidente da FENEPOSPETRO, mas não se pode negar que os pedidos de ordem econômica são mais urgentes, pois o salário tem natureza alimentar e é dele que o trabalhador depende para o seu próprio sustento e o de sua família, razão pela qual temos que agilizar o debate das cláusulas sociais e dar prioridade às cláusulas econômicas” – salientou o sindicalista.
     (A ata da reunião está no blog sintrapostomg.blogspot.com )

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
CAMPANHA SALARIAL UNIFICADA

       A exemplo do que aconteceu em anos anteriores, o SINTRAPOSTO vem participando das negociações com o MINASPETRO juntamente com os outros Sindicatos de frentistas de Minas Gerais e com a Federação Nacional dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo (FENEPOSPETRO).
     Assim, estão atuando em conjunto, com pauta unificada, as seguintes entidades que representam os empregados dos postos de combustíveis do Estado: SINTRAPOSTO-MG (que representa os frentistas de Juiz de Fora e Região); FENEPOSPETRO (que representa os frentistas onde não há base territorial de Sindicato da categoria); Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Belo Horizonte e Região; Sindicato dos Empregados em Postos de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Uberaba e Região; e Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo, Lava-Rápido e Troca de Óleo do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas