O trabalhador precisa estar sempre ligado ao seu Sindicato, para o seu próprio bem, principalmente na vigência da maldita reforma trabalhista – diz Guizellini - Jornal O Combate
   
Outubro 2017
página 3
 
 
“O trabalhador precisa estar sempre ligado ao seu Sindicato, para o seu próprio bem, principalmente na vigência da maldita reforma trabalhista” – diz Guizellini

      Em entrevista ao jornal “O Combate”, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, ressaltou que “é necessário que os trabalhadores estejam sempre antenados com o Sindicato da classe, acompanhando e apoiando constantemente o trabalho da entidade na defesa dos interesses da categoria, para o próprio bem deles mesmos”.

     Em seguida, Guizellini explica: “Fazendo isso, os trabalhadores ficam a par de seus direitos e das novidades, bem como das melhorias que o Sindicato frequentemente conquista para os integrantes da categoria profissional representada pela entidade”.

    Segundo Guizellini, “o trabalhador precisa estar ligado ao Sindicato em todos os momentos, mas principalmente nesta hora difícil em que estamos abrindo a nossa campanha salarial de 2017 para iniciarmos em breve novo processo de negociação com o Sindicato patronal objetivando a obtenção de um bom acordo salarial e outros benefícios para a importante classe profissional representada pelo SINTRAPOSTO”.

    De acordo com Guizellini, “o trabalhador deve, para o seu próprio bem, sempre procurar orientação no Sindicato, pois assim ele conhecerá melhor seus direitos e saberá se defender melhor se por acaso alguém tentar prejudicá-lo ou enganá-lo”.

   E o sindicalista acrescen “Agora, então, quando vamos enfrentar uma gigantesca tentativa de nova escravização dos trabalhadores brasileiros a ser promovida pela maldita reforma trabalhista implantada pelo desgoverno de Michel Temer, o trabalhador precisa estar bem ligado ao seu Sindicato mais do que nunca, pois a entidade sindical é a única arma que o trabalhador ainda possui para enfrentar qualquer tentativa de escravização que venha a surgir em seu local de trabalho”.

     Para Guizellini, “não há nenhuma dúvida de que a nova lei que vai entrar em vigor em novembro, fazendo várias alterações na CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), favorece muito os patrões e prejudica demais os trabalhadores, mas se os trabalhadores estiverem muito ligados e unidos ao seu Sindicato, as tentativas de exploração covarde do suor do trabalhador poderão ser barradas no festival de escravização que desgraçadamente será promovido pela nova lei do Temer, razão pela qual vale repetir que o trabalhador precisa estar sempre ligado ao seu Sindicato, mas principalmente na vigência dessa maldita reforma trabalhista”.

     Guizellini acredita que a única forma de o trabalhador se proteger das perversidades que se anunciam com a entrada em vigor da reforma trabalhista é se unindo ao Sindicato. “É muito importante que o trabalhador, antes de assinar qualquer papel referente ao seu trabalho ou fazer qualquer acordo individual com seu patrão, procure orientação no Sindicato, para evitar ser lesado ou prejudicado por patrões inescrupulosos e maldosos” – afirma o sindicalista.

     Guizellini informa que “os trabalhadores podem e devem acompanhar e apoiar a atuação do Sindicato lendo os jornais e boletins que sempre distribuímos para eles, acessando o site do jornal O COMBATE (www.ocombate.com.br) e o blog do SINTRAPOSTO-MG (sintrapostomg.blogspot.com), telefonando ou enviando e-mail para o Sindicato (3213-7565 e 3216-3181 e sintrapostomg@gmail.com) ou para o jornal O COMBATE (98845-2991 e ocombate.jm@gmail.com), ou indo à sede da entidade, na Rua Halfeld, nº 414, sala 609, Juiz de Fora, Centro”.


Sindicato fiscaliza condições de trabalho de frentistas e apura denúncia de irregularidades

O vice-presidente do SINTRAPOSTO-MG, Rômulo Garbero (à direita), em um posto de combustíveis no interior de MG durante recente trabalho de visitação às bases do Sindicato.

     Recentemente, diretores do Sindicato dos Trabalhadores em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Juiz de Fora e Região – SINTRAPOSTO-MG estiveram novamente em vários postos de combustíveis localizados em cidades que compõem a base territorial de abrangência do Sindicato, no interior de Minas Gerais.

     Segundo o presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini, “o objetivo desse trabalho de visitação às bases é verificar as condições de trabalho da categoria, informar pessoalmente aos frentistas as atividades do Sindicato na luta por melhorias salariais e outros benefícios para a classe, orientá-los acerca de seus direitos trabalhistas e ouvir o que eles têm a dizer para o aperfeiçoamento da nossa luta sindical”.

     Conforme informou Guizellini, “esse trabalho vem sendo realizado pelo Sindicato há muitos anos, mas desta vez houve um motivo especial. É que a Procuradoria do Trabalho de Varginha recebeu denúncia anônima de irregularidades em um posto de combustíveis daquelas imediações e informou isso ao Sindicato, que, então, atendendo a sugestão daquela Procuradoria, foi ao local para fiscalizar as condições de trabalho e verificar se realmente as irregularidades constantes da denúncia recebida pelo Ministério Público têm fundamento”.

     Distribuindo exemplares do jornal “O Combate”, contendo notícias de interesse dos frentistas, e também um boletim do SINTRAPOSTO-MG, os dirigentes sindicais estiveram não só no posto denunciado, onde realizaram a diligência proposta pelo Ministério Público, como também em vários outros estabelecimentos do setor, nos quais conversaram com muitos trabalhadores.

     Os sindicalistas fizeram um trabalho de orientação e esclarecimento aos frentistas, colocando-os a par de seus direitos e dissipando suas dúvidas.

     Após trocar ideias com os trabalhadores, esclarecer suas dúvidas e ouvir suas reivindicações, o vice-presidente e o diretor-secretário da entidade, respectivamente Rômulo Garbero e Luiz Geraldo Martinho, se mostraram muito satisfeitos com a disposição desses trabalhadores em apoiar a luta do Sindicato.

     Ainda de acordo com Guizellini, “esse trabalho de constante visitação às bases, levando a direção da entidade a manter contato pessoal, direto e permanente com os trabalhadores, é muito importante para nós e para eles também, pois propicia um entrosamento cada vez maior entre a direção do Sindicato e a categoria na nossa luta constante por melhorias salariais e outros benefícios para os trabalhadores representados pela entidade”.

     Em seguida, Guizellini acrescentou: “Já que muitos trabalhadores não podem ir ao Sindicato, a entidade vai até o local de serviço desses trabalhadores, levando informações e orientações e buscando a união de todos em torno de um objetivo comum: a conquista de mais benefícios para toda a nossa classe”.

     Finalizando, Guizellini assinala que “esse trabalho tem gerado bons frutos, fortalecendo o Sindicato e a categoria, e deixando contentes os nossos colegas frentistas, que ficam muito satisfeitos quando recebem em seus locais de trabalho diretores do Sindicato”.

2011 © Direitos reservados Jornal O Combate    -    web por: GFT artes gráficas