Minaspetro empurra negociação salarial dos frentistas para 2020

O presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini (o 2º a partir da esquerda), tendo à sua direita o advogado João Batista de Medeiros, integrante do Departamento Jurídico da entidade, participando da 5ª reunião com a Comissão Negociadora do MINASPETRO (à direita), na sede do Sindicato patronal, em BH, no dia 17 de dezembro.

A campanha salarial dos empregados dos postos de gasolina, lojas de conveniência, lava-rápidos, estacionamentos e garagens de Juiz de Fora e Região, iniciada no dia 27 de setembro, teve no dia 19 de novembro mais uma rodada de negociação, mas continua sem definição.

A campanha salarial dos empregados dos postos de combustíveis, lojas de conveniência, lava-rápidos, estacionamentos e garagens de Juiz de Fora e Região, assim como do restante do Estado de Minas Gerais, continua indefinida depois de cinco rodadas de negociação.
Iniciada no dia 27 de setembro, quando foi realizada a assembleia geral da categoria que aprovou a pauta de reivindicações dos trabalhadores que está sendo negociada com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais – MINASPETRO, a campanha salarial da classe ainda vai demorar mais porque a entidade patronal “amarrou e empurrou a negociação para o próximo ano”, segundo o presidente do SINTRAPOSTO-MG, Paulo Guizellini.
|Página 4|


Na 3ª reunião, Sindicatos não chegam a acordo sobre reajuste salarial dos trabalhadores dos condomínios
|Página 2|


Silas avalia Bolsonaro e fala da campanha salarial dos comerciários |Página 3|